Salame

Acalorada, Maria saiu ao relento para refrescar-se, mas não, o calor era interno, brotava do ventre. Então, desnudou-se e soltou o corpo no chão de terra fria.

Era uma noite escura.  Ela olhou para o céu, desejosa. Não se sabe se imaginou, sonhou ou viu mesmo um ponto de luz, uma estrela cuja luz crescia em sua direção até delinear-se num corpo de homem nu, pairando no ar com lindas asas translúcidas. Pareceu-lhe extremamente belo, fato que a esquentou ainda mais.

– Vim atraído por sua beleza, as curvas… também pela morenice de sua pele, seu desejo clamante… – sussurrava no ouvido dela.

Assustada, ela se encolheu, tentando cobrir com as mãos sua intimidade.

– Não se assuste, sou do bem. “Abençoada sois vós entre as mulheres, Maria”. Vim fazer-lhe um filho especial, fruto híbrido da minha divindade com a sua macaquice.

– Ainda sou virgem, vai me machucar, você é tão grande…

– Serei muito carinhoso, Maria, não tenha medo.

Séculos depois, plena de ardentes memórias, Maria estirava-se sensualmente junto ao Senhor sobre uma nuvem branca, quando na Itália um frigorífico que produzia embutidos explodiu, mandando pros ares todo tipo de carne. Misteriosamente, um grande salame alcançou os céus. Reconhecendo a aparição, Maria, em estado de graça, revelou ao Senhor:

– Aquilo é o Espírito Santo de que lhe falei.

 Compartilhar no Facebook

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.